Projeto | Depoimentos | Aprovados no ITA |
Depoimentos ITA - 2011
Sex, 06 de Janeiro de 2012 10:06
Leia alguns depoimentos de alunos aprovados no Vestibular do ITA em 2011.
Primeira parte: História resumida.
Bem, vou logo começar, porque na minha época de orkut eu via o pessoal passando no ITA e vinha aqui na comunidade pra ver os depoimentos pra me dar motivação. Comecei a saber do ITA logo qdo entrei no ens. médio, mas tudo não 
passava de um sonho, ainda mais pra um cara sem condições financeiras que nem eu. A escola onde eu estudava em Manaus era muito boa, mas não pros padrões ITA/IME, daí tive que estudar pros vestibulares tradicionais do estado. Em 2008, no meu terceiro ano, foi minha primeira tentativa. Resultado: me ferrei, nível absurdo p/ aquilo q eu sabia, se
eu acertei umas 2 questões de matemática foi muito. A partir daí, senti que a preparação pro ITA era algo mais específico, muito mais aprofundado, ainda mais pra mim, que nunca ganhei nenhuma mençãozinha na vida, nunca fui medalhista em olimpíada. Em 2009, entrei p/ faculdade, mas logo desisti pra me dedicar ao ITA, estudando sozinho com um material que um professor havia me emprestado. Daí, fiz de novo a prova, mas tinha o sentimento de que não havia me preparado bem, na verdade, nesse ano, construí uma base em matemática, física e química. Depois do resultado, deu um negócio na minha cabeça e decidi ir me dedicar única e exclusivamente para esse meu objetivo tão almejado. Para isso, precisava de uma preparação mais focada, com gente querendo a mesma coisa, com competitividade pra dar motivação pros estudos. Já tinha ouvido falar de cursinhos famosos, no eixo do sudeste, mas com certeza não me aceitariam por lá, era muito caro, e pra um cara que nem eu não tinha como conseguir bolsa. Fora isso, me manter por lá ia sair muito caro, ainda mais sozinho num lugar em que nunca havia estado. Então, me liguei que parentes dos patrões da minha mãe, empregada doméstica, moravam em Fortaleza, daí pelo respaudo dessa cidade em aprovações 
ITA/IME, decidi meter a cara. Graças a Deus, todos me apoiaram nessa empreitada e ganhei uma família em Fortaleza. Pra mim não importava o cursinho que entrasse, queria apenas focar nesse objetivo. Acabou que eu fui parar no FB, chorando por uma bolsa e tendo apenas como garantia a confiança no meu esforço e dedicação e num histórico escolar razoável. 
Começou 2010 e dei o gás. Estudava muito, muito mesmo. Afinal, estava eu ali apenas pra isso. Passei  em alguns concursos militares, mas levei meu primeiro baque no IME, fiquei meio triste, mas ainda faltava o ITA. 
Fiz uma prova mais ou menos, e já tinha quase certeza de que não passaria, o que, obviamente, aconteceu. Decidi então tentar mais uma vez, a derradeira, porque, apesar de ser meu sonho, não podia esperar muito e ver minha mãe se sacrificando e trabalhando muito no emprego dela. Pra mim, eu tinha  e ainda tenho a obrigação de dar uma vida 
melhor pra ela, que desde o início apoiou as minhas decisões. Chegou 2011, e foi o ano pra tapar os buracos. Aquela história de que ah...isso não cai não tio Judson... é pura carteação! Nunca subestime um assunto.
Bem, estudei bastante também, mas não era tão isolado qto em 2010. Sempre fiz todos os simulados, e isso me ajudava muito a ver como estava em relação aos meus demais concorrentes, porém amigos. Veio o IME, primeiro grande vestibular do ano, e me sentia bem preparado. Ainda estava com o pé atrás, pq nunca havia passado no concurso, mas graças a Deus consegui ser aprovado, me senti aliviado e percebi que os anos de preparação haviam valido a pena. Porém, ainda faltava algo, sempre falta, e era o ITA. Voltei pra Manaus e fiz as provas por aqui, bem cedo, 6 da matina começava. A semana foi de pouco descanso, dormia pouco, com certa ansiedade. Recomendo que durmam bem, é bizu. A partir daí vcs sabem o que aconteceu, tanto que estou aqui fazendo esse depoimento e espero que sirva de ânimo pra um 2012 cheio de realizações pra todos que desejam, de corpo e alma, ir para o ITA.
 
Segunda parte: Rotina de estudos e recomendações.
Chegava no cursinho pela manhã, assitia às aulas, ia almoçar e voltava pras aulas que tinham à tarde. Depois disso, era estudando e fazendo as apostilas até 9 da noite(lógico que comia nesse intervalo, ainda mais pra um gordinho q nem eu). Alguns amigos meus ficavam até o colégio explulsá-los. =]
Bem, o que eu recomendo é que vocês foquem naquilo que vcs têm dificuldade, porém nunca se confie em dizer que já sabem tal matéria ou outra. Afinal, a média do ITA  é composta por 4 matérias. Passei no vestibular, pq era mediano em todas as matérias. Eu tinha uma certa dificuldade em matemática, principalmente no IME, que já havia me cortado 2 vezes. Dei o gás mesmo, nunca subestimava um assunto ou algo parecido. Contudo, sempre procurava dedicar tempo igual pra Física e Química, ficava revezando os estudos. Qto à português, estudava  literatura, que cai bastante no ITA, 6 questões, que podem definir sua entrada na instituição. Em inglês, já havia feito curso e tinha facilidade, daí só assistia  às aulas dos professores. Se vc não sabe inglês, estude, pegue uma gramática boa e, principalmente, tente ganhar vocabulário lendo revistas estrangeiras!!! Amigos meus, excelentes, foram cortados em inglês esse ano. Um deles havia fechado a prova de matemática por completo. Não que eles não tenham estudado, mas a prova do ITA é meio traiçoeira, é uma prova que exige muita interpretação e atenção.
Em termos de livros etc., não estudava mto por eles,  focava mais nas apostilas dos professores e nas aulas bizuradas... Mas, tenho algumas recomendações, que muitos aqui sempre estão comentando, principalmente pros que estudam sozinhos:
Matemática: Matemática elementar, p/ ganhar base, Caio Guimarães e Elementos do Rufino pra aprofundar. Morgado, de geometria e combinatória, é bizu tbm.
Física: Tópicos de Física, Renato Brito(excelente!), Saraeva...e muitas questões por fora, do site do Rumo ao ITA, Gilson Resolve, de onde for, tem q fazer muita questão!
Química: Estudava só com o q os professores passavam, mas recomendo Feltre/Martha Reis p/ ganhar base e Peter Atkins/Brady pra aprofundar, juntamente com os livros do Nelson Santos.
Português: Resumo de obras =D, gramática não cai muito, mas é sempre bom saber!!!
Inglês: como eu já disse, ganhar base com uma gramática e ganhar vocabulário... Ler mto tbm, pra saber como interpretar direito, vale tbm pra parte de interpretação de português.
Bizu Master: Fazer provas antigas, só pra relembrar!! Marquem o tempo, o mínimo possível, se conseguirem!! Velocidade vc ganha treinando, não adianta ter todo o conhecimento do mundo, o que faz vc passar é saber utilizar o q vc sabe em quatro horas.
Outra coisa extremamente importante: Organização e discplina é tudo, façam um plano de estudo q vcs se sintam bem, não adianta tbm estudar 16 hs por dia e dormir pouco, ah, falando nisso, dormir bem é bizu. Pelo menos umas 7 horas por dia...
Definam uma estratégia e foquem nela. Não há coisa melhor do que vc chegar na prova e chegar confiante em tudo que vc estudou e se dedicou.

Terceira Parte: Agradecimentos.
Agradeço primeiramente a Deus, que me dava forças qdo mtas vezes me faltou.
À minha mãe, que sempre me apoiou e aos meus familiares aqui em Manaus, que me ajudavam financeiramente e com palavras motivadoras.
À família que ganhei em Fortaleza, em especial à Dona Zilneide, que foi a avó que nunca tive, oferecendo moradia e mais que tudo amor pra alguém não tão conhecido.
Aos meus amigos, fundamentais na minha conquista.
Por fim, à equipe FB, que me forneceu as ferramentas necessárias, físicas ou não, pra que eu alcançasse esse objetivo.
Espero, do fundo do meu coração, que todos vcs que estão lutando por esse objetivo, consigam obter sucesso. Lembrem-se de que sem sacrifício, não existe vitória. Um forte abraço.

Nome: Bráulio Henrique Uchôa
Idade: 20
Tentativas: 4
Local: Manaus 

Depoimento: Bem, talvez esse depoimento não ajude a tantos, mas espero que pelo menos ajude a alguns. Eu realmente fiquei muito emocionado com o depoimento do Bráulio, foi uma história e tanto. Meus sinceros parabéns pelo esforço, foco, dedicação e humildade. Minha história é bem diferente da dele, mas vim postar para falar em algumas coisas que eu acredito, que talvez ajudem.Eu comecei a almejar o curso de engenharia no segundo ano do ensino médio, antes pretendia cursar direito ou economia. Desde de pequeno gostei muito da área de Ciências e de Matemática.Até o segundo ano, eu também não tinha o costume de estudar diariamente ou com alguma forma de regularidade. Porém, fui aprovad0 em uma seletiva para Olimpíada Internacional de Física, o que sem dúvida, foi uma
das minhas melhores experiências acadêmicas. Para resumir a história, vou dizer logo qual a maior consequência da minha participação nessa seletiva (não fui aprovado por sinal hehe): a autonomia. Passei a estudar muito sozinho,
aprendendo assuntos que o professor ainda não havia dado em sala. Claro que ajuda bastante uma aula prévia, com uma boa explicação. Mas todos são capazes de construir o próprio conhecimento, e quando isso ocorre, o conhecimento, normalmente, é muito mais fundamentado do que quando você é tutelado. Isso porque é você mesmo que está raciocinando, criando as ligações, para compreender o assunto. E qualquer alteração no raciocínio, é facilmente percebida e contornada por você. Então, se eu pudesse dar uma primeira dica, seria essa: não fique esperando que alguém, que seu professor ou que qualquer pessoa diga o que e quando você deve estudar. Você conhece suas fraquezas, o que deve estudar mais ou menos. Cabe a você pegar o livro, a apostila, o caderno, e estudar.
Outra coisa que daria como conselho, seria valorizar a teoria. Tentar realmente entender o conteúdo, aprender as
demonstrações das formulas, as condições para que aquele fenômeno seja verdadeiro. Quando você só estuda fazendo questões, você fica limitado àquele raciocínio. Se houver alguma alteração na raiz da questão, você pode ficar perdido. E como as provas do ITA costumam ser provas criativas e elaboradas, com questões com raciocínios diferenciados do normal, é importante ter uma boa base teórica. Claro que você também deve fazer exercícios, muitos por sinal, para aprender a colocar a teoria na prática e para adquirir agilidade e confiança na resolução dos exercícios. Mas não menospreze a teoria. Eu sempre valorizei a teoria. Pegava os livros, lia bem direitinho o conteúdo, e depois
ia fazendo questão por questão. Fiz poucas provas do ITA, acho que umas 3 no total, além dos exercícios separados. Mas a base que eu tinha da teoria e dos exercícios desses livros me ajudou bastante. Outra coisa que também acho muito importante, é o gosto pelo estudo. Acho importante você realmente tentar gostar de estudar, e adquirir o hábito de estudar regularmente. Não pensar no estudo como algo penoso, chato, como uma obrigação. Pense nele como uma oportunidade de aprender.Por último, deixo algo que é minha opinião, mas acho que muitos não concordam. Acredito que você não precisa abdicar totalmente de um ano para alcançar esse objetivo. Se você se conhece, e sabe que precisa estudar muuuuuuito, e está disposto a isso, tudo bem. Mas acho importante ter suas horas de lazer, de esporte, de relaxar. Estive namorando durante toda a minha preparação do ITA, sempre pratiquei um esporte, saia todas as semanas, até mesmo na véspera da prova. Acho importante você relaxar um pouco, espairecer, aliviar a mente. Claro que você deve saber dosar o tempo de lazer de acordo com as suas necessidades. Mas acho que não vale a pena abdicar de toda e qualquer forma de lazer. Acho que isso é até pior na verdade. O psicológico conta muito na hora da prova.Bem, acabei não falando tanto sobre mim, nem sobre minha história, mas tentei ajudar os futuros iteanos. Falei aquilo que eu fiz e que acho que deve ajudar. Mas cada um conhece a si mesmo, e sabe a melhor maneira de estudar para si. Não busque se encaixar num modelo ou no método de estudo de alguém. Desenvolva o seu. O importante é estudar, e quando tiver estudando, realmente estudar. Não ficar com a cabeça em outro lugar. Desejo a todos um ótimo ano novo, muita força, garra e dedicação para alcançar seus sonhos. Saibam que qualquer sonho é possível, é só você realmente querer e se esforçar para que ele se realize. Boa sorte nas próximas provas!

Nome: João Pedro Cavalcanti Pereira
Idade: 17
Tentativas: 1
Local: Recife
Livros usados: Matematica - Fundamentos da
Matematica Elementar; Quimica - Feltre; Fisica - Fundamentos da Fisica
(Nicolau, Ramalho), Topicos da Fisica e Halliday
Cursinho: Não fiz cursinho 

Eu conheci o ITA quando um amigo meu me mostrou uma prova, me pediu para tentar resolver uma questão e eu não consegui, mais tarde descobriria que provavelmente naquela época não conseguiria resolver nenhuma delas. Eu estava no segundo ano do ens. médio.
Eu fiquei meio incucado, afinal matemática era uma coisa que eu dominava, ia melhor que os colegas de turma, mesmo não estudando nada(isso mesmo, nada). Fui buscar uma resolução na internet e me deparei com o site www.rumoaoita.com. Imprimi algumas listas de exercícios de lá e comecei a tentar resolver.
Percebi então o quão despreparado eu estava, resolvi pouco ou quase nada do que imprimi. Fui então atrás de livros que pudessem me ajudar na preparação, conheci o site www.vestseller.com.br, comprei o livro 1 de mecânica do renato brito, o lidski e o atkins. Comecei a estudar um pouco de cada um deles, mas então acabou o ano e eu larguei mão de tudo.
Comecei o terceiro ano, mas nessa época tinha mudado de idéia, pretendia cursar agora medicina(sonho da minha mãe). Passei quase o ano todo focado nisso, mas no fim do ano, ja novamente mudando de idéia(acredito que todos mudamos muitas vezes nessa época), novamente decidi tentar prestar o ITA. Me inscrevi no vestibular, estudei um pouco dos livros que havia comprado um ano antes e fui fazer o vestibular. Nem preciso falar que me dei muito mal. Física e simplesmente não fiz nenhuma das questões dissertativas. Foi a primeira vez que eu tive contato real com uma prova do ITA(até então não tinha resolvido nenhuma pra valer, só questões soltas).
Fui buscar cursos preparatórios, Fortaleza parecia a melhor opção, fui fazer a prova deles(não lembro exatamente o que era, mas tinham 5 questões cada prova e muita coisa que eu nunca tinha visto). Fiz a prova e fui rejeitado... rejeitado num curso que prepara para o ITA, fiquei com muita raiva, não conseguia entender como eu não fui aceito, eu era um dos melhores da minha escola.
Voltei pra minha cidade e então a minha mãe me disse que tinha me matriculado no poliedro, eu ia morar em um alojamento. Fui, afinal eu precisava de ajuda, nunca tive disciplina para estudar sozinho.
Chegando la conheci pessoas que me ajudaram muito na minha preparação, professores, amigos de quarto e de sala. Mesmo estudando bastante, não conseguia me sobresair, os resultados nos simulados ainda estavam medíocres e fui perdendo auto-estima, parecia algo muito distante, eu não tinha muito sucesso no aprofundamente das matérias, mesmo tendo uma base boa. Mas então, passei o ano todo empurrando com a barriga o curso, estudando meia boca, desanimado e, mesmo sem estudar, cansado.
Fiz o vestibular desse ano, e mesmo tendo gostado da prova, não fui aprovado.
Voltei no ano seguinte, dessa vez um pouco mais animado, ainda que a situação financeira estivesse um pouco complicada em casa. Fui tentando levar a situação como podia, mas o rendimento foi caindo e em meados de agosto eu estava com rendimento muito ruim, nos simulados eu errava muita besteira, não tinha muito animo pra acordar e o estudo estava péssimo.
Mas nesse ano eu fiz algo que acho que me ajudou bastante: eu consegui aprender matérias que antes eu não sabia, e foi focando nessas falhas que eu consegui melhorar o meu desempenho mais uma vez.
Fiz o vestibular do IME, e mesmo não tendo gostado da prova de Matemática, fui aprovado e isso me deu um novo ânimo. Fui para a prova do ITA confiante, e mesmo tendo achado a prova um tanto estranha, achava que tinha ido bem, mas química e português(redação) ainda me assustavam.
Voltei pra casa e fiquei esperando o resultado, que segundo o site, sairia no dia 30. Sonhei com o resultado umas 3 vezes nos dias que precediam a prova. No dia 28 fui durmir tarde, e no dia 29, acordei de tarde com meu telefone tocando, atendi sem olhar e uma voz feminina perguntou pelo meu nome. Naquele instante eu comecei a pensar que podia ser o resultado, mas na minha cabeça o resultado só sairia no dia seguinte. Pensei que fosse trote ou algo assim.
Olhei o telefone e vi que o número tinha o prefixo ddd 012, da cidade de são josé dos campos, minhas mãos começaram a tremer, e então ela se identificou como alguem de algum departamento do ITA(eu realmente não lembro, naquela hora eu não tava pensando direito). 
Ela então falou que eu havia sido aprovado no vestibular e me parabenizou, eu não conseguia pensar direito, tremia bastante. Levantei e fui ao computador, digitei o número e apareceu uma página do google que ia pro site do CTA. Não podia ser trote.
Deitei na cama, e fiquei alguns minutos la... não lembro exatamente o que pensei. Liguei pra minha mãe e falei pra ela, afinal, no final foi tudo por ela e graças a ela. Logo depois amigos começaram a me ligar(foi mais ou menos nessa hora que postei no facebook). Eu queria compartilhar com meus amigos a minha conquista, eles que sempre me ajudaram, que sempre me deram motivação pra continuar. Eu acho que não dá pra explicar o que é você receber essa ligação, tudo o que eu posso dizer é que vale a pena, é muito recompensador, e não tem nada melhor que você receber um parabéns sincero dos seus amigos, dos seus familiares, da sua mãe, sincero porque eles sabem o quanto você lutou e deixou para trás para poder alcançar esse sonho.
Então eu deixo aqui um muito obrigado a eles, meus amigos(Muitos para citar), a minha mãe(que sempre acreditou em mim e sempre fez tudo que podia para eu conseguir continuar) e a minha família que sempre me deu apoio e que sempre me ligava nas horas difíceis. A todos vocês, muito obrigado, por tudo, por dar carinho, companhia e motivação sem esperar receber nada em troca. Amo vocês demais.
Agradeço também à equipe do Curso Poliedro, que sem fazer distinção recebe a todos que acreditam em seus sonhos, que fornecem o melhor de sí para tornar verdade o sonho de muitos jovens do Brasil inteiro. Muito Obrigado.
Aos amigos da turma ITA sjc, parabéns aos que conseguiram chegar onde queriam, força aos que ainda não conseguiram alcançar seus objetivos. Continuem acreditando!
Se você leu isso até aqui, espero que tenha sido útil, assim como o depoimento de vários aprovados me ajudaram nos momentos em que eu perdi a motivação, em que a auto-estima estava baixa. Acredite em você, lembre-se que o conhecimento é algo gradual, que se desenvolve com o tempo, e quando você menos esperar, vai entender coisas que você antes não conseguia. Cada um tem seu tempo, aproveite o seu, se esforçe bastante e continue tentando, por que é preciso semear o sucesso, e ele leva um pouco de tempo para florescer. 

Paulo Henrique Aguiar Araújo
Idade: 19
Tentativas: 3
Local: Juazeiro - Bahia 

A primeira vez que ouvi falar do ITA foi da oitava série para o 1 ano do ensino médio. Nessa época, não tinha a menor noção de quão trabalhoso seria passar nesse vestibular.
Durante o ensino médio tive maior contato com as questões do ITA e percebi que iam um pouco além daquilo que normalmente aprendia. Comecei, então, a estudar para o ITA na metade do segundo ano. Mas sem muita instrução, cheguei ao meu 3 ano com varias deficiências e não passei na minha primeira tentativa. Não fiquei muito abalado com isso porque sabia que seria difícil passar naquele ano (2009).
Decidir entre fazer um ano de cursinho ou ir para a USP cursar eng. Aeronáutica foi difícil, mas, apesar de muitos me aconselharem a deixar a idéia de passar no ITA, optei por tentar mais um ano. 
O ano de 2010 foi bastante difícil. Ficar longe da família e deixar os amigos não foram experiências muito legais (o que não quer dizer que não trouxeram benefícios). Estudei muito, varei noites e dormi pouco (o que eu acho que foi um erro). Nesse ano, passei no IME e fiquei muito feliz por isso e o bom resultado me deu confiança para enfrentar o ITA, eu sabia que era capaz. E então veio o vestibular do ITA, fui muito mal na prova de física logo no primeiro dia e fiquei arrasado. Em português, que costumava ir bem, também não consegui uma nota boa. Já nas provas de matemática e química, fui bem. Resultado: não passei. Acho que foi um dos piores dias da minha vida, fiquei muito abalado e me sentia muito mal. A grande maioria dos meus amigos já estava na faculdade e eu não. Havia, ainda, a possibilidade de ir para o IME e cheguei a fazer os exames que eles pediam e tal. Mas pensando melhor, percebi que o que queria mesmo era entrar no ITA. Mais uma vez enfrentei algumas pessoas que me diziam para desistir e decidi fazer outro ano de cursinho. Analisando agora, acho que um dos principais motivos do fracasso em 2010 foi o fato de não saber lidar com um tropeço em meio à maratona de provas do vestibular. Quando saí da prova de física, eu tinha certeza de que não ia passar e de que estava acabado. Não tive maturidade suficiente para lidar com esse problema e ele me prejudicou nos testes que seguiam. Quando liguei para o ITA fiquei sabendo que física e português haviam me tirado do vestibular.
Começou, então, 2011, o ano que se tornou o melhor de todos no seu antepenúltimo dia. Cheguei ao cursinho normal: nem animado e nem triste. Estudei muito esse ano, aprendi inúmeras coisas novas e fiz vários amigos. 2011 foi importante para eu aprender a me controlar durante a prova e a confiar mais em mim porque sempre ficava muito nervoso com testes (ainda fico). O principal ganho durante o ano foi maturidade. Seguia as orientações dos professores, fazia todas as listas e “tarefas” e tentava equilibrar meus estudos. Também não foi um ano muito alegre. Várias vezes eu pensava o que faria se não conseguisse, como eu iria me sentir e o que diriam os que acreditavam em mim. Mas ainda bem que sempre tive amigos que me ajudavam. Fiz todos os simulados e me dediquei bastante aos estudos. Então chegou a prova do IME e no primeiro dia foi a prova de matemática, com 2 horas de prova eu tinha feito uma questão apenas e tava fazendo a segunda. Naquele momento eu estava em pânico, pensando que não ia conseguir. Foi a mesma situação da prova de física do ITA do ano anterior. Mas dessa vez eu consegui virar o jogo e acabei passando no IME. Fiquei muito feliz por isso, mas a alegria durou pouco e logo voltei a focar no ITA. Então chegou a semana tão esperada: a do vestibular do ITA. Tudo correu bem na prova de física e me sai bem, em português fui mais ou menos, na prova de matemática consegui tirar uma boa nota e veio a prova de química. Achei a prova de química muito complicada e não me dei muito bem. Saí achando que não ia passar e mais uma vez meus amigos foram importantes para me animar. A espera pelo resultado foi uma das mais longas e angustiantes, fazia e refazia a minha média na calculadora toda hora. No dia 29, por volta de 2:40 da tarde, estava assistindo um filme quando o telefone tocou. Passou pela minha cabeça que poderia ser o resultado, mas sabia que era só no dia 30. Corri para atender mas minha irmã chegou primeiro. Quando ela me chamou já fiquei gelado. Quando a mulher disse que era do ITA eu comecei a tremer e então ela falou que eu tinha sido aprovado. Isso é indescritível. Uma sensação de alivio muito grande.
Quanto à rotina de estudos, acredito que cada um faz a sua. No meu caso, acordava 7 da manhã e estudava até o almoço. Depois ia para o cursinho para assistir as aulas. Nas horas restantes até meia noite eu terminava meu estudo. Usei basicamente o material fornecido pelo curso, mas fiz um pouco do Renato brito e do morgado de combinatória. Acho que não é bom fazer maluquices como dormir pouco para estudar mais ou aloprar em algumas matérias, o equilíbrio nos estudos e a constância são muito importantes.
Sou grato a muitas pessoas que me apoiaram e me incentivaram nessa jornada. Agradeço a minha família, que sempre me estimulou, e a Deus. Agradeço, também, aos meus professores que me ajudaram muito mesmo. E não posso esquecer os meus amigos que me deram muita força e me ajudaram muito, porque ninguém entra no ITA sozinho e amizades são incrivelmente importantes.
Penso que se você tem um sonho deve tentar alcançá-lo e, assim, é inevitável que ele se realize. 
Como disse um professor, quem passa no ITA não é aquele que não tropeça ao longo da maratona das provas, mas aquele que logo se levanta e acredita na vitória.
Espero ter ajudado os que ainda não passaram da mesma maneira como os depoimentos dos anos anteriores me motivaram e me deram esperança.

Nome: Vinícius Vieira Alves
Idade: 19
Local: Dourados-MS
Número de tentativas: 3 

Antes da oitava série, um amigo estava estudando pra entrar no ITA e me disse que era uma das melhores faculdades do Brasil. Talvez por vaidade, comecei a dizer que também queria passar no ITA e essa idéia foi ficando mais fixa. Durante meu ensino fundamental estudei por diversos colégios e nunca tive dificuldades para me destacar nos estudos, acreditava que era um gênio =P. Isso até que, no 1 ano de ensino médio, eu fui para o Farias Brito, lá eu descobri que não era nada, era mais um no meio de tantos.
Mesmo percebendo que não era tão inteligente assim, continuei me dedicando muito pouco aos estudos, entrando na turma ita com uma péssima base. Acabou que me acomodei, passei meu 1 ano de turma ita enrolando, no final acabou que não passei no ITA e nem no IME e, por isso,  meio que realmente caiu a ficha: eu realmente não era um gênio. 
Meu 2 ano de turma ITA não foi tão inútil, apesar de não manter um ritmo de estudo constante, consegui pegar uma boa base em todas as matérias, porém ainda faltava dedicação, rapidamente me desconcentrava para jogar um totó, um baralho ou um ping-pong. Por sorte tinha amigos muito inteligentes que me ajudaram durante todo o ano e, graças a esse esforço conjunto, fui aprovado no IME. Porém diante do fracasso do ano anterior, ainda não me sentia confiante para fazer a prova do ITA, era muito imaturo, resultando que me dei mal na prova de física do ITA logo de cara, e acabou que atrapalhou o resto das provas e mais uma vez não fui aprovado. Até então não pensava em ir para o IME, mas  como muitos colegas passaram apenas no IME acabei indo para lá também. Porém, devido a vida sedentária e a falta de interesse em estar no IME, fui reprovado no teste físico e voltei para Fortaleza. Isso sem dúvidas foi a melhor coisa que poderia ter acontecido comigo nesse ano.
No ano seguinte, no meu terceiro ano de cursinho, voltei mais empolgado e confiante. Estudei muito todos os dias, parei de jogar para não me desconcentrar e consegui um excelente grupo de estudo muito dedicado. Com essa nova experiência na turma, os resultados dos simulados melhoraram e a vontade de estudar aumentou. Isso foi essencial, com esse progresso percebi que eu não havia alcançado meu limite nos anos anteriores, longe disso, e isso aumentava a vontade de estudar. Esses resultados foram essenciais para aumentar a confiança e encarar a prova com mais tranqüilidade. Consegui fazer a prova do IME sem ficar muito nervoso e acabou que passei bem classificado, o que aumentou ainda mais a confiança para o ITA e deu um gás final para as últimas revisões. Quando chegou na semana do ITA, comecei com uma boa prova de física, porém no dia seguinte começou o drama, alguns colegas acharam, ou pelo menos foi o que eu entendi da reação deles, que talvez eu tivesse fugido do tema da redação, e isso foi terrível, não consegui dormir direito e cheguei na prova seguinte com a confiança abalada. No dia seguinte fui com a confiança abalada, mas foi exatamente no dia da minha melhor matéria e isso fez que, mesmo sem a confiança desejada, fizesse uma excelente prova que recuperou a confiança para o dia seguinte.  No dia seguinte fiz uma prova de química mediana, mantendo a média de corte. Nos dias seguintes do vestibular tentei esquecer do drama da redação, mas nada feito, fiquei até o resultado do ITA com essa redação na cabeça. No dia do resultado não fiquei tão nervoso porque recebi a ligação antes de ter notícias de alguma outra pessoa que tivesse recebido a ligação, daí foi de boa, deu tudo certo! 
Minha rotina de estudo não era algo absurdo, era o que eu conseguia agüentar. Antes de 6h ia pra academia malhar, já que reprovar no teste físico denovo não seria interessante, e em torno de 8h ia para o colégio estudar com o grupinho de estudo e ficava estudando até em torno de 12h e a partir daí aguardava começar as aulas e quando elas acabavam eu, normalmente, ia para casa dormir.  Nos fins de semana fazia os simulados do colégio e estudava no resto do tempo até umas 17h. Com essa rotina conseguia resolver todos os materias do colégio e alguma coisa por fora. Além das apostilas do colégio, utilizei praticamente apenas os livros de física do Renato Brito e passei a ler algumas obras famosas.
O que eu realmente aprendi durante essa trajetória foi que vale a pena se dedicar nos estudos, é muito melhor se dedicar muito um ano nos estudos e passar, do que passar vários ano se dedicando pouco e, por isso, dificilmente passar. É essencial a união da turma, várias mentes trabalham melhor que só uma, além de que estudar com outras pessoas torna o estudo mais dinâmico, rápido e menos entediante. Por isso sou grato a todos que participaram dessa maratona de estudos, incentivando e cobrando durante todos esses anos.
Espero que esse depoimento tenha sido útil!

Nome: Lucas Mestres Mendes
Idade: 19
Local: Fortaleza - CE
Número de tentativas: 3 

 
Banner
Banner

Apoio

Banner

Pesquisa

Best online mobile porn videos and sub categories videos on the : erotic massage xxx movies watch online.

Login

Facebook Futuro Militar

Facebook Rumo ao ITA