Projeto | Depoimentos | Aprovados no ITA |
Depoimentos ITA - 2009
Qui, 07 de Janeiro de 2010 02:57

Confira aqui os depoimentos de alguns aprovados no ITA em 2009

Cara, esse foi um ano e tanto. Eu não tinha certeza no início se ia estudar pesado pra ITA e IME, porque já tinham sido quatro tentativas, o número de pessoas que te apóiam tende a diminuir, e você mesmo acha que não dá pra passar... Quando eu voltei a assistir aula no cursinho, eu pensava "caramba, de novo aqui"... Mas aí eu formei um grupo de estudos com duas pessoas que se tornaram muito meus amigos e foram indispensáveis nessa conquista. A cobrança para não faltar aulas, para fazer os simulados, fora as provas do ITA que a gente fez, tudo isso fez a diferença pra mim. Daí veio o IME, e eu fiquei muito nervoso. Eu fiz muito mal a prova da segunda-feira, e quando cheguei em casa que conferi o gabarito, tinha levado corte. Eu me senti o cara mais incompetente do mundo, levando corte nas fechadas do IME na quinta tentativa. Eu não sabia como ia conseguir me arrastar para fazer as provas dos dias seguintes. Aí na terça-feira de manhã, eu descobri pela comunidade que o Poliedro tinha discordado de uma questão de química (onde eu tinha levado corte), e aquilo me deu esperança de que nem tudo estava perdido. Eu fui fazer as provas dos dias seguintes pra destruir. No fim das contas, não fez muita diferença para o IME, porque a questão não foi anulada, mas eu vi que a atitude perante a prova faz toda diferença. Claro que não passar no IME não era o que eu tinha em mente, e por isso novembro foi um mês muito estressante. Teve dias que eu chorei, pensando que tudo tinha acabado, que as pessoas que tinham dito para eu desistir iam apontar pra mim e dizer "eu não disse?"... O meu emocional parecia uma montanha-russa, mudando constantemente. Mas duas semanas antes do ITA eu pensei "tá na hora de acabar com essa palhaçada de pessimismo". E assim foi. Veio o resultado do IME e eu não deixei me abalar. E aí veio A SEMANA. Na prova de física, nos vinte primeiros minutos, eu não consegui fazer uma questão sequer. Respirei fundo, fui para as discursivas, e aí tudo começou a desenrolar. Ainda assim, quando eu saí da prova, pelos comentários da galera, achei que tinha ido mal. Chequei em casa e pensei “meu Deus, o Senhor tá querendo que eu tenha muita fé mesmo, né?”. Na tarde de terça, eu passei uma hora no telefone com Dani Clarindo, do ITA, e foi muito legal. Ela ficou contando como eram as aulas, os trotes, o CPOR. Foi uma conversa que me deu muita perspectiva. Eu fui para as provas do dia seguinte pensando “isso é apenas um obstáculo entre eu e a faculdade onde eu quero estar ano que vem.” E aí veio português, que foi uma prova tranqüila. Depois, Matemática, de longe a prova mais emocionante que eu fiz na minha vida. Muito massa, muita coisa pra fazer... No fim da prova, parecia que a galera tinha saído de uma maratona. E química foi uma boa prova, mas algumas questões abertas (a do sulfato e a da nitroglicerina), eu não fazia a menor idéia se tinha acertado. Então veio a semana da espera, e finalmente, o resultado. Da terça pra quarta, eu mal consegui dormir. Quarta de manhã, quando eu acordei, não quis ligar o computador logo, porque não queria me estressar com o F5, então esperei. E veio o primeiro telefonema do dia: engano. Eu fiquei muito arretado. Mas veio o segundo, e era minha amiga dizendo que eu tinha passado. Depois disso, foi muito choro de alegria, muita comemoração. Eu quero dizer para aqueles que vão tentar de novo, em especial aos que estão nas “múltiplas tentativas” (de 4 pra cima): vão com tudo. Se eu não tivesse passado, eu ia tentar de novo. É difícil se reerguer, ter que ouvir pessoas dizendo que você está perdendo tempo, é difícil criar forças pra se esforçar de novo. Mas enfrente isso. O que importa é o seu sonho, então siga em frente. Eu estou completamente satisfeito com tudo que me tem acontecido nesses últimos dois dias do ano. É muito recompensador por todo o esforço despendido! E por essa conquista, eu quero deixar registrado o meu agradecimento a todas as pessoas que me ajudaram e me incentivaram: à minha família, à minha mãe em especial, aos amigos de cursinho - aos que passaram no ITA e/ou no IME e aos que vão tentar de novo (detonem!) -, aos amigos em geral, aos diretores e equipe do GGE, que me deram um apoio fenomenal durante esses anos todos, e à comunidade, onde eu encontrei muito incentivo nos posts da galera. E por último, e mais importante, ao meu bom Deus, que me ajudou a chegar até aqui.

Antonio Lamounier Soares Lira da Silva – Recife/PE

Bom, acho que serei breve e não contarei minha história aqui porque já o fiz no depoimento do IME. Gostaria só de dar alguns conselhos ao pessoal que vai prestar o vestibular ano que vem: - Conheça a si mesmo. Há pessoas que têm facilidade para uma matéria, dificuldade para outra. Há aqueles que tem facilidade com tudo, e há outros com dificuldade em tudo. O que eles têm em comum? TODOS podem passar no ITA! Isso deve guiar seu ritmo. Você deve basear seu estudo em si próprio. Não há uma regra a ser seguida que te dará a aprovação. Tenha o bom senso de filtrar os conselhos que recebe e saiba aproveitar somente aquilo que for aplicável a VOCÊ! - Saiba a hora de começar e de parar. Se você está sentindo cansaço mental e o estudo não está rendendo, pare e descanse. Não adianta ficar bitolando com a cabeça quente. Você vai armazenar aquilo ali apenas de modo supérfluo, e logo esquecerá. Mas também não use disso pra se enganar. Cansei de ver gente enganando a si próprio. Vivia cansado, com dor de cabeça e tal, mas na verdade não tinha força de vontade o suficiente para meter o gagá. Cuidado, isso pode custar a sua vaga. - Participe! Assista a aulas, sem faltar. Tire TODAS as dúvidas com os professores, colegas de turma (importante) ou aqui na comunidade. Faça os simulados, sejam do cursinho, sejam do Rumoaoita. Pouco a pouco você vai construindo um conhecimento sólido, que será confirmado por meio dos resultados nos simulados e em concursos aí durante o ano. Faça provas antigas! O estilo do ITA não mudou muito, de alguns anos pra cá. O nível geral da prova tem sido parecido, as questões também. É MUITO importante chegar treinado, abrir a prova e saber o que fazer, não ficar que nem um bobo olhando pra ela, sentindo medo e se perguntando "E agora?". Quanto mais provas fizer, melhor, mas eu diria que, no mínimo, os últimos 10 anos se fazem necessários. Tente fazer em menos tempo. Se você já está num nível bom, faça em 2h. Se ver que não consegue, aumente pra 2h e meia ou mesmo 3h. Mas marque o tempo certinho, com relógio, e procure não fazer interrupções. É pra ser valendo, como num simulado. Se você não estiver conseguindo fazer em menos de 4h, terá que melhorar isso durante o ano, senão sentirá extrema dificuldade na hora lá! - Mesmo que não queira ira pra lá, tente passar no IME! É uma instituição diferente, com uma prova TOTALMENTE diferente, mas é muito bom você ver seu nome lá na lista, pouco antes do vestibular do ITA. Vai mostrar que você realmente está entre os melhores, entre aqueles que vão brigar por uma vaga no ITA. Você vai se sentir mais confiante, o que é muito importante. - Confie em si mesmo! Não adianta o cara passar o ano inteiro "ahh.. não vou passar", "é difícil demais..". Isso só faz atrapalhar. Baixa-estima é algo que te atrapalha em tudo na vida, no vestibular especialmente. Então levante a cabeça e pense "Eu estou me esforçando ao máximo, e, por isso, vou conseguir". Um professor meu, que tem uma história de vida muito bonita (veio do interior, família muito pobre, e tal, mas conseguiu virar e se dar bem na vida) dizia que, quando veio pra Fortaleza prestar vestibular, pensava assim "Eu posso não ser o que sabe mais nesse concurso, o que vai tirar as melhores notas, mas eu tenho certeza que NINGUÉM se esforçou mais que eu, estudou mais que eu, ou quis essa vaga mais que eu!". Fora isso: Desejo a todos um ótimo ano novo, com muito estudo e pouco (mas existente..) descanso.

Alisson Felipe Bezerra – Fortaleza/CE

Eu tenho muito a agradecer. Passar no ITA não é algo que consegui sozinho, é acúmulo dos esforços de muitas pessoas que me ajudaram muito. Meus pais principalmente por terem compreendido e apoiado o meu sonho de ser ITEANO, mesmo quando estava dificil para eles me bancar. Meu cursinho Podion e todos seus professores, pricipalmente o Prof Cores que sempre esteve la pra me apoiar. E todos os meus amigos que fizeram essa joranada mais alegre , mais prazerosa. Como a maioria das pessoas que passam acredito eu, não consegui de primeira. No meu primeiro ano estudando para o ITA, no cursinho, descobri muitas coisas. Aqui estão duas mais importantes. Primeira, não se compare com os seus coleguinhas hehe, isso da uma dor de cabeça, eu minha sentia um lixo qndo tirava 3 num simulado de mat e um amigo meu tirava 9. Lembre-se que cada um tem seu tempo. Segunda, seja fiel a seu sonho. Provavelmente voce vai passar em varias universidades antes de conseguir o ITA. Lembre se do ITA, olhe a comunidade, imagine o dia que voce passar. Isso sempre me ajudou muito a tomar decisões dificieis, como não ir pro IME no primeiro ano e tambem não cursar Med na UnB. Tenha fé em voce mesmo. Tente curtir o periodo de estudos, por mais impossivel que isso pareça.

Kalil Gebrim Rodrigues – Brasilia/DF

Bom acho que o objetivo dos depoimentos são incentivos para o pessoal que vai tentar a prova nesse ano... Então vamos lá!!!!! No ano de 2006, eu comecei a cursar Química na UFJF e na turno da tarde fazia cursinho no Apogeu, obviamente foi muito atrapalhado por essa jornada dupla, mas a teimosia de que a faculdade de química estava ajudando ao invés de atrapalhar (e um pouco de pressão dos meus pais, também, me fizeram ficar no curso), resumo da opéra: Reprovação no ITA e no IME No ano de 2007, tranquei a faculdade e retornei para o cursinho (passei a dar algumas monitorias, tmb), muito estudo, muita dedicação e foi aprovado no IME, mas no ITA não. Iniciei 2008 me apresentando no IME, veio então o momento mais difícil da jornada, eu estava numa faculdade de primeira, mas não estava feliz (não gostei da rotina). Desisti do IME (e sinceramente escrever isso é fácil agora pq eu passei no ITA, rsrrssr). Voltei pro Apogeu e foi então que conheci o Eurico Dias (que estava iniciando seu trabalho lá...), foi convidado pra trabalhar de auxiliar na coordenação e decidi não mais fazer cursinho, por obrigação dos meus pais destranquei meu curso de Química. Estudei sozinho, muito, fiz simulados do Rumo ao ITA, exercícios, e não fui aprovado no ITA. O desâmino foi muito grande para iniciar 2009, um dos professores da turma ITA de química deixou o curso e fui convidado a dar aula no lugar dele. Estava no 6o periodo de Quimica, tinha um emprego promissor. A pergunta que me fazia era pra que fazer a prova de novo?? Nessas horas os amigos foram os mais importantes (Eurico/Vinicius - ex aluno do ITA / Victor - aluno do ITA e Jackson - aluno do IME) me apoiaram muito e não deixaram o desanimo me abater... Estudei sozinho (não fiz cursinho, mas algumas aulas particulares) e consegui... Por isso, acho que se tens a vontade de passar: Lute.... Ache formas de motivação... Pessoal ver seu nome na lista é uma emoção Incrível.... Feliz 2010 pra todos.....

Rafael da Silva Alves – Juiz de Fora/MG

Também fiz o depoimento do IME contando algumas coisas, vou fazer esse aqui mais com coisas que aprendi com essas duas tentativas, assim como os outros fizeram. :D - Primeiro, não fique comparando às outras pessoas. Para passar no ITA/IME o seu problema é a prova. Todos sabem que se vc tirar uma média boa está garantido lá dentro. De pouco importa quanto o seu colega tirou. Tem que preocupar com quanto vc tirou e o que fazer para melhorar a sua nota! - Não assuste com as pessoas que também estão prestando. Sempre existem pessoas muito boas prestando, pessoas com vários anos de cursinho que podem dominar mais conteúdo que vc. Mas isso não é motivo para desesperar (eu fiquei muito assustado no 3º ano devido ao número de pessoas que já estavam no cursinho a alguns anos tentando ITA). Não pode pensar: "pô, se os caras não passaram com 3, 4 anos de cursinho eu não passo nunca!" Eu pensei assim várias vezes. Mas vc tem que acreditar no seu potencial, meter gagá que vai dar certo. - Pro pessoal que saiu do 3º ano agora, prestou ITA/IME e não passou, não desistam!! Se realmente querem um desses dois, vale muito a pena estudar mais um ano, fazer cursinho, se organizar. Ano passado passei no IME mas não no ITA e decidi tentar mais uma vez. Em um ano dedicado exclusivamente para isso, vc cresce demais! O seu tempo focalizado em apenas um propósito traz muito resultado. - Não fique frustrado pq seu planejamento não foi cumprido totalmente. Essa parte eu acho importantíssima. Eu planejei fazer tanta coisa esse ano e não fiz nem metade. Frase que muita gente me disse esse ano: Se não for possível fazer tudo, faça tudo que for possível. Às vezes pensamos que dá pra fazer trilhões de listas e simulados em um dia. Mas vc é humano, tem questões que não vão sair, que vc vai ter que procurar livro pra estudar e melhorar naquilo. E isso toma tempo! Então, mesmo que planeje direitinho o que vai fazer ao longo do ano, acredite que algumas coisas podem não dar certo, mas não desestimule! - Faça muuuuuuuuuitos exercícios. Quanto mais exercícios fizer, mais modelos conhecerá. Mas tenha certeza que são poucas questões que vc vai encontrar na prova que são idênticas à esses modelos. Mas mesmo assim, isso faz vc treinar tempo, fazer questões mais rápido. - Leia bastante, teoria é muito importante em tudo! - Provas antigas. Acho que nem preciso falar sobre isso, já tá mais que enfatizado. :P Mas não esqueçam de marcar tempo, extremamente importante! - Descanse. Descanse sempre. Passar noites em claro é muito ruim. Eu dormi muito tarde no 1º semestre e fiquei muito cansado para o 2º. Compensa organizar seu horário até o horário que pode estudar de boa. E não existe quantidade de horas que vai te passar. Tem que estudar com seriedade o tempo que vc tem. Estude e quando precisar vá lanchar, dormir um pouco, conversar. E quando voltar, dê o gás! É isso aí galera. Boa sorte a todos q vão batalhar novamente, aos que vão começar agora. E a todos que passaram, parabéns!! Dá-lhe T-14!! :D Abraço.

Rodolfo Barbosa Santos – Goiania/DF

Bom.. Queria parabenizar aí ao Lamounier por ter conseguido expressar com perfeição o que é passar no ITA, mas queria deixar o meu registro aqui. Foi, sem dúvida, um ano de aprendizado e amadurecimento. A minha primeira tentativa foi com 15 anos, não tinha esse amadurecimento necessário, e não levei o ITA " a sério". Aqui em casa tive inúmeras discussões com meus pais pelo fato de eu não compreender o sacrifício que se faz necessário em prol desse objetivo. Não entendia, "Porra, por que fulano e sicrano podem sair todo fim de semana e eu não?", posteriormente descobri: "Eles não querem ITA". Na minha segunda tentativa, mudei de colégio. O que foi bom pra mim, um recomeço de verdade, novos amigos e uma nova mentalidade.Durante o primeiro semestre, fui bem ia bem nos simulados e tal, mas quando chegaram as férias, meus amigos todos na faculdade e eu tendo que dar aquele "algo a mais". Voltei pro segundo semestre e não consegui voltar com o mesmo ritmo do primeiro, fui caindo de produção e isso é desesperador.Resultado não passei em NADA, IME , ITA, UFC, NADA! Fui obrigado a tentar outro ano!(Hoje, sou grato por isso!XD) Na terceira tentativa, foi horrível recomeçar, eu era um veterano que tinha perdido grandes amigos, já que eles tinham passado(Caju, Padre, Luke, Diego e César). Fiquei odiando a sala, "Porra , que sala merda não conheço quase ninguem!".Mas com o passar do tempo, fui conhecendo as pessoas da sala e fui vendo ali também tinham grandes AMIGOS. Enfim, fui me entrosando com a sala e tal, e DEI O GÁS naquele primeiro semestre.(Rotina:Minha é a tarde, acordava as 6hrs da manhã, pra estar as 7 no colégio, almoçava lá(12hrs), 12:50 acabava, estudava até as 13:30, assistia as aulas até as 7 da noite, estudava até as 9, assistia 'a favorita'(é eu assistia), as 10 começava a estudar denovo até 1hora ou meia noite.) É eu acho que era rotina de zumbi.Resultado: Cansei!. Nas férias, depois do curso de férias, fui pro Rio e me desliguei de Fortaleza(Conselho do Walter, valeu Walter!).Voltei com gás, pra não cair no mesmo erro da segunda tentativa.Iniciei os simulados das provas antigas e fiz ITA(1990 ATÉ 2002, foi quando mudou o estilo de prova pro atual, deixei 2002 ATÉ 2009 pra os tempo entre o IME e o ITA. Enquanto isso acontecia, os resultados não me ajudavam...percebi que eu era contestado por algumas pessoas, menos meus pais e alguns amigos.Não passei na EFOMM(cortado em portugues e ingles), cortado na Escola Naval(cortado em ingles)."Pô, um cara que não passa na Escola Naval e na EFOMM, não passa no IME."Com certeza foi assim que pensaram...DITO E FEITO, não passei. Fiquei DESTRUIDO, abalado, chorei e pensei:"Pô, um ano de esforço e nenhum resultado, que merda!Já tô com 18 e NADA!" Foi uma época que me apeguei com Deus e ele me ajudou, pouco tempo depois soube que não corrigiram minha prova por que fiz a lápis, ou seja, a possibilidade de eu não ter passado só por esse vacilo, mas não é certeza(nunca saberei se passaria ou não) mas isso me deu motivação, a motivação que eu precisava. Fiz os simulados de 2002 a 2009 e fui pra prova com uma determinação irada! Prova de Física: "Puta que * , não sei fazer nada, danou-se!" foi assim que eu pensei nos primeiros 15 minutos.Me concentrei, rezei, e fui desenrolando.Resultado: Acho que foi a prova que me salvou. Prova de Português:"Ah até que dá pra desenrolar...." Resultado: Fiz só 13, enquanto a maioria destruiu!Fiquei muito triste.Mas tava na briga tinham mais 2 provas pela frente! Prova de Matemática:Fui com atenção redobrada e pensando:"Eu não preciso fazer todas as questões, basta marcar, que conta a mesma coisa!"Resultado:Isso me poupou bastante tempo e ACHO que fiz uma boa prova. Prova de Química: A minha mais temida, fui com atenção redobrada pra não cair nas pegadinhas e ACHO que consegui desenrolar. A Espera! É horrível, olhando a galera aqui da comunidade fazendo 68, 66 e pensando: "Pô a galera foi muito bem , não dá pra mim" Foi um sofrimento diário.Meu pai tava me preparando pro pior, não queria que eu fizesse cursinho denovo e tal. O clima aqui em casa tava péssimo. Até que chegou o dia 30, a ansiedade era muito grande, por mais que eu tivesse sem esperança, estava ancioso. Pensei que o resultado só saia as 9hrs(sem horario de verão). Quando me ligaram, pensei que era trote e tal, desliguei na cara desse meu amigo que ligou. E fui conferir, Noooooooossa foi só alegria, Demais!Foi uma choradeira aqui em casa! Assim, conselho é dificil de dar pra vocês, por que tem gente aqui que sabe mais que eu.Eu tinha feito uma frase sobre isso, num sei se alguem também tinha feito mas enfim paciência: "As vezes, nem todo mundo que merece passa, mas todo mundo que passa, merece" Galera só digo uma coisa: "Eu não diferente de ninguém dessa comunidade, não sou superdotado, não aprendo as coisas mais facilmente, eu não tenho nada de especial, então 'Se eu consegui, vocês também conseguem'. Com uma dose de esforço, tenho certeza! Bom, espero ter ajudado ou sei lá...foi bom colocar isso no papel (ou tela , que seja). Valeu ! E espero dar trote em vocês! PS: Já levei um hoje...e nem cheguei lá ainda! hehe

Henrique Bessa de Farias – Fortaleza/CE

idéia de fazer o ITA começou quando me interessei pela carreira de engenharia aeronáutica, já que eu sempre gostei de aviação. Comecei a estudar pra valer no início do terceiro ano, e logo depois da minha primeira tentativa estudei um ano completamente por conta própria. Na minha segunda tentativa, já sentia uma leve confiança, mas novamente não passei. Depois de um ano de cursinho no Etapa, fiz pela terceira vez. Quando fiz a prova de física, fiquei meio nervoso com a dificuldade das questões, e comecei pelas discursivas. Achei que não teria chance de passar. A prova de Português já fiz bem mais tranquilo, mas ainda não fui bem. Matemática e Química foram as melhores provas que fiz, mas achei que pelas outras matérias não teria chance de passar. Faltando uns 5 dias pro resultado, decidi conferir meu gabarito. Fiz 67,5% dos testes. Desanimei, achei que teria que fazer algum milagre nas discursivas pra passar (normalmente as notas nas discursivas são menores, pelo menos para mim). Lembro que comentei com os meus amigos que, se eu fosse aprovado, ficaria muito surpreso. Dia 30, as 6:30 da manhã no meu estado, acordei com o telefone. Recebi a notícia de que fui aprovado. Foi uma alegria muito grande, principalmente para mim que tinha poucas esperanças de passar. Fui na casa da minha tia ver na internet se o meu nome realmente estava na lista, e foi difícil de acreditar quando o ví. Eu via os outros passarem nos anos anteriores, e ficava pensando quando seria minha vez, e se realmente existiria. Finalmente tinha chegado! Não é fácil aguentar a rotina de cursinho, mas foi muito recompensador. Para mim, o que realmente foi difícil é que senti uma pressão na última tentativa. Eu dependia da minha família para me sustentar em São Paulo quando fazia cursinho, e meu pai queria que eu entrasse em uma faculdade logo, já que tinha "perdido" dois anos. Tentei esquecer de tudo isso na hora da prova. Embora tenha ficado meio nervoso na prova de física, todas as outras eu fiz bem tranquilo. Quem está começando a tentar o ITA, eu recomendo descobrir de que forma seus estudos rendem mais. Eu, por exemplo, tinha maior rendimento nos simulados quando descansava dos estudos por um tempo. Por isso, na semana anterior das provas, não estudei quase nada. Nos dias da prova, o máximo que fazia era revisar algumas coisas: Em literatura, lí alguns resumos (muito importante!) e em química, decorei a tabela de solubilidade. É bom também pensar em todas as hipóteses, inclusive de caso não passe. Assim a pressão na hora da prova diminui bastante. Boa sorte e bons estudos à todos que estão tentando! :)

Iuri Alexandre – Porto Velho/RO

Se fosse pra fazer um depoimento é melhor olhar o do IME. Mas fora isso o que eu queria dizer é que: - Não adianta você martelar em outras coisas na hora da prova , achar que não consegue porque é sua primeira tentativa, porque você foi mal em tal prova e alguém foi melhor, ou qualquer coisa desse tipo. Muita gente prefere não conferir, eu confiro depois da prova, mas no dia seguinte esqueço e só tenho a prova do dia em mente. Tempo é muito importante e você ir focado é fundamental, usar as 4 horas só pra prova e não pensar em mais nada. - O IME e o ITA ainda são duas provas, aquele é com certeza o melhor "termômetro" pra você saber como está em relação aos outros, no entanto são vários os casos em que tem gente que passa no ime e não passa no ita, assim como gente que não passa no ime e passa no ita. São dois eventos indepedentes. - Li todos os depoimentos e conhecer melhor esses caras no dia-a-dia vai ser muito bom. Acho que indepedente de onde você vem, de onde você estudou, quantas vezes tentou passar, a alegria de ver seu nome na lista é a mesma (e é muito boa xD)! Vamo nessa T-14.

Ivan Guilhon Mitoso Rocha – Fortaleza/CE

Até o meu 1ºcolegial eu não sabia bem o que era o ITA, vinha de uma cidade pequena para estudar como bolsista no ETAPA em São Paulo. Creio que é totalmente possível ser aprovado sem estar inscrito num cursinho especial, mas para mim foi fundamental a presença de outros alunos interessados ao meu lado que serviram para me motivar. Eu já tinha em mente que queria fazer engenharia, e fiquei fascinado com a idéia de que os melhores alunos no Brasil todo se esforçam muito para ir para lá. Uma coisa que me ajudou muito foi o meu envolvimento com olimpíadas, fiz de tudo, de matemática, física e química. E o fato de eu ter estudado bastante para elas durante os meus três anos de EM me ajudou muito. Uma coisa que valorizei muito foram os simulados, e tinha como meta uma nota mínima de 7 em todas as matérias. Eu estudei muito pro ITA, e fiquei muito contente quando passei no fim do meu 3º ano. Era o sonho da família, acho que fui o primeiro cara da minha cidade a ter passado. E foi muito difícil tomar a decisão de não ir cursar. Porque assim como muitos que participam nessa comunidade eu tinha um sonho. Uma frase do meu pai que ficou marcante para mim “as pessoas se arrependem do que elas não fazem; você é novo vai lá e tenta!”. E foi o que eu fiz, eu desisti do ITA após saber que eu havia sido bem colocado na OBM, estudei bastante e fui escolhido para compor a equipe que representou o Brasil na Olimpíada Internacional de Matemática. E nesse ano de 2009, pude fazer muitas coisas, além de estudar muito matemática para as olimpíadas, comecei a trabalhar ajudando a turma ITA do ETAPA, e desenvolvi um projeto preparatório de olimpíadas de matemática para alunos da minha cidade. Como eu não podia trancar a vaga no ITA, tive que prestar vestibular de novo. E confesso que dessa vez estava mais tenso do que na vez anterior. Eu sofria muito com a pressão de já ter passado antes. E nesse ano eu não estava em nenhum inscrito em nenhum cursinho, fiquei até setembro estudando muita matemática quando voltei a estudar forte pro ITA. Eu costumo dizer que o ITA tem um conteúdo padrão que sabendo vc consegue passar. Revi o conteúdo que eu já tinha aprendido com o meu material e estudei só com provas antigas. Para a prova um método que funcionou comigo foi de não ver os gabaritos até acabarem as provas. Nada pode ser feito para as provas que já foram então pense nas dos dias seguintes. No ano passado principalmente acho que isso me foi muito útil, as minhas preocupações eram com física e português, e achava que as outras notas que iriam me ajudar; mas eu fui bem além do que eu esperava nas duas matérias, mas sem saber disso eu não corri o risco de relaxar e fui bem em matemática e química também. Eu não me arrependo da minha decisão, fiz muitas coisas nesse ano, mas principalmente amadureci muito. A mensagem que eu deixo é “keep trying”. obs: dessa vez eu vou!

Marco Antonio Lopes Pedroso – Santa Isabel/SP

Depois de longos dois anos é difícil filtrar tudo que eu passei. Quem está ou já esteve na pele de aluno de turma ITA sabe que não é fácil, que é extremamente comum pensarmos que, frente à concorrência de nível tão alto, é impossível passar, mas acreditem: Não se deixem enganar por isso, é possível desde que você não desista por absolutamente nada! Minha primeira tentativa foi meio conturbada, após tanto ter ouvido sobre o ITA e a dificuldade que era passar, eu me neurotizei, copiava todo o tipo de problema ou informação que me era apresentada em sala de aula e, em casa, folheava provas do ITA no computador e livros que os professores recomendavam estudar. Com esse ano eu aprendi que, pelo menos pra mim, essa rotina não é saudável. Estudar de cabeça quente se torna uma bola de neve. O estresse atrapalha seu raciocínio e o erro te torna ainda mais preocupado. Apesar de os resultados dos vestibulares terem sido bons nesse ano, no ITA não deu pra mim. O segundo ano foi bastante diferente. Com um ano de bagagem e tendo tido a experiência de fazer a prova, de sentar lá do lado dos seus concorrentes, tudo fica diferente. Minha rotina mudou por completo. Eu estudei pra suprir todas as dificuldades que eu senti no ano passado(no meu caso, principalmente química e literatura), o desespero de aprender tudo diminuiu, nos domingos eu não estudava mais quase nada, e eu creio que issoisso ajudou muito, afinal o preparo psicológico também é extremamente importante. Vez ou outra dava uma vontade de morrer vendo aquela questão que você já viu 500 vezes naquele mesmo material daquele mesmo professor. Acontece, é algo que a gente tem que superar. Os contratempos vão existir até o último dia de prova, é questão de não se deixar abater por eles. Eu, por exemplo, quando desmotivado, assistia àquele videozinho do site do ITA, aquilo sempre me dava um baita estímulo. No fim das contas, e graças a Deus e a todos que me ajudaram, eu passei pela sensação inesquecível de ver meu nome na lista, e com toda certeza compensou todo o esforço. Bom, eu imagino que cada um tenha seu jeito de estudar e de render melhor, mas pelo que eu vi alguns macetes servem pra todo mundo. Primeiro: IGNOREM A CONCORRÊNCIA. Não adianta de nada saber se fulano foi medalha de ouro não sei onde ou tirou primeiro lugar naquela prova lá. Concentre-se nas suas dificuldades, afinal saber a dos outros não vai te ajudar e às vezes até atrapalha, pois te pressiona. Segundo: FOQUE. Na prova passa quem estiver mais preparado para os quatro dias que você vai encarar no fim do ano. Lógico, bastante conhecimento é fundamental, mas um fator importantíssimo é o quanto você conhece e está preparado pra prova do ITA. Resolva tantas provas antigas quanto você puder(especialmente as mais recentes), faça simulados, procure questões semelhantes, enfim, conheçam a prova como a palma da sua mão para que lá não haja surpresas. A todos que estão ou estarão na luta pra entrar, desejo toda a sorte do mundo e que Deus esteja com vocês no dia da prova.

Guilherme de Sena Brandine – Fortaleza/CE

Bom, boa parte do que eu queria dizer eu disse no depoimento do IME, mas, como o meu real objetivo foi alcançado, eu posso usar o meu caso como base de fato! Uma coisa que eu falei no depoimento do IME e que eu gostaria de repetir é: encontre sua maneira de estudar! não fique procurando na dos outros, porque isso não vai dar certo, ache a sua, a que faz você aprender melhor e ESQUEÇA horas de estudo! o que importa é o que você está rendendo, não quanto tempo você passou sentado. Se você não estiver bem pra estudar, simplismente não estude! Descanse e estude depois, estar tranquilo na hora do estudo é muito importante. Resolva o máximo de provas antigas que você conseguir! Eu, por exemplo, resolvi os ultimos 4 ou 5 anos de prova do IME. Do ITA eu resolvi todos os anos 90 e boa parte dos anos 2000 (que eu já tinha feito quase todo em 2008). No total eu fiz uns 20 anos de prova. É imprescindível! Todo mundo sabe disso, mas nem todo mundo faz isso! E tem gente que fez muito mais que eu! Durante esses dois anos a coisa que eu mais fiz por mim mesmo foi me motivar, encontrar maneiras de me deixar animado pra continuar minha empreitada, acho isso importantíssimo! Depois do resultado do IME eu fiquei muito mal porque estava me sentindo pressionado, estava certo de que não conseguiria passar, fiquei com muito medo de não conseguir. Falei com a minha mãe, coisa que nunca fazia, e ela me deu o apoio que eu precisei pra perder o medo e fazer uma boa prova! Então, sintam-se seguros com suas famílias! SE PREOCUPEM DEMAIS COM TEMPO DE PROVA!! Se você não é rápido o suficiente, não tem Halliday, Mahan, Leithold, Apostol que resolva! Seja focado! Faça o que é necessário pra passar e esqueça coisas que não caem! Resolvam essas provas antigas em 3 horas, porque na hora vai faltar tempo! Eu conseguia resolver as provas antigas em 2 horas e pouco, na hora da prova o tempo me foi muito apertado! Nessas provas antigas você conhece muita questão. E, para finalizar, NÃO DESISTAM! Sempre procurem se motivar! Na minha primeira tentativa eu não passei em nada! e mesmo assim consegui bons resultados esse ano! Um ano a mais de maturidade faz milagres! Tem muita gente que não passa por falta de maturidade, portanto, acredite que sua hora vai chegar, porque a minha chegou! Um grande abraço a todos!

José Leônidas de Menezes Cristino Filho – Fortaleza/CE

Bom, a minha historia com o ITA foi completamente por acaso. Em 2007 me formei no colegio militar de bh, tinha conhecimento sobre o ime e o ita mas n prestei nenhum dos dois. Não passei na ufmg naquele ano, e então decidi fazer o melhor cursinho da cidade (Bernoulli). Quando fui fazer a matrícula a secretaria me informou que já haviam acabado as vagas, mas q havia vagas para a turma ita. Voltei pra casa e só no dia seguinte tomei coragem para me matricular lá, pq n acreditava q eu fosse capaz de suportar o ritmo da turma. Até maio de 2008 eu n estava focado no ita, só queria ter uma base mais forte para a ufmg, mas depois acabei me fascinando com a força de vontade dos alunos que passam no ita e só então comecei a estudar pra valer. O resultado foi q eu fui bem nas provas (menos física) mas n passei. Em 2009 comecei a fazer eng quimica na ufmg e a estudar por conta própria. Foi muito desanimador no começo ter q estudar tudo de novo, até porque eu gostei muito da minha turma de engenharia. Foi uma decisão muito dificil trancar a faculdade no 2º semestre e fazer cursinho novamente, mas o q mais me ajudou foi perceber q uma faculdade como o ITA n eh facilmente comparável a outras. Sem dúvidas ótimos engenheiros se formarão em outras faculdades, mas não se pode garantir a excelencia de uma turma inteira. Fui para o poliedro no 2º semestre e quando cheguei lá me assustei com a quantidade de alunos bons e com o ritmo da turma. Novamente eu achei q n fosse suportar o ritmo e pensava que todos q estavam na sala eram melhores do q eu. Mas a força de vontade de estudar no ita e o apoio dos meus amigos e familiares me motivaram a acreditar no meu potencial e a me dedicar ao máximo para o vestibular. Foram meses dificeis. Em setembro comecei a fazer provas antigas do ime, pq msm q n quisesse estudar lá eu qria ir bem nas provas. Fiz nove anos de provas antigas. Qdo chegou a prova de mat eu n fui tão bem e fiquei um pouco desanimado. Após a prova de quimica eu tinha qse certeza de q seria eliminado. Fiquei um pouco triste pq eu achava q quimica seria meu ponto forte no ime. No mes de novembro eu dei o gás final, ja estava muito cansado e mal conseguia concentrar numa prova antiga do ita. Qdo veio o resultado do ime foi realmente uma surpresa eu ter passado, mas isso n mudou em nada minha ansiedade para a prova da semana seguinte, pois eu havia errado muitas coisas q eu sabia e se isso ocorresse no ita provavelmente eu n passaria. Qdo chegou a semana de provas do ita eu fui confiante para o primeiro dia, pois estudei muita física esse ano, mas mesmo assim n fui bem na prova. Nos dias seguintes eu procurava n pensar nas provas q ja haviam passado e tentava me concentrar ao máximo nas 4 horas q eu estava ali. Qdo td acabou eu n sabia se tinha passado pois n tinha a menor idéia de como seria o corte. Qdo saiu o resultado eu percebi q faria td de novo se precisasse, pois foi uma das melhores sensações q eu ja tive. Acreditem, se vcs estudarem serão recompensados pelos seus esforços!! E isso é realmente indescritivel. Tenham força de vontade para estudar q vcs entenderão o q eu estou falando. Um feliz 2010 para todos, e um ótimo ano de estudos para os que persistirão! NÃO DESISTAM DOS SEUS SONHOS!! Um grande abraço!

Igor Luiz de Moura Rios – Belo Horizonte/MG

Acho que meu caso é um pouco atípico, mas creio que existem histórias similares. Primeiro, sou daqueles que conseguiram passar 'literalmente' de última tentativa, devido ao limite de idade, e ainda ter sido de segunda chamada. Nos primeiros anos, eu não chegava a estudar muito, devido principalmente a faculdade que fazia e as alienações consequentes da ingenuidade, como festas, bebidas e etc... Apesar disso, tive alguns resultados como aprovações na AFA e Escola Naval.
Depois dessa fase, devida a necessidade, resolvi fazer concurso público e assim me tornei servidor público. Porém o sonho de ser iteano era maior. Assim, resolvi estudar 'de verdade'. Como trabalhava, tive que ser auto-didata e aí que o rumoaoita teve significante contribuição na minha caminhada: teoria, exercícios e simulados bizurados fizeram a diferença. Agradeço de coração a toda equipe!
Em 2008/2009 cheguei a passar no IME e não passei no ITA, pensei em ir pro IME, mas no começo de 2009 tive um problema grave de saúde: depois de exames descobri que tinha um tumôr agressivo no meu fêmur direito e tinha que operar. Resolvi ficar para o tratamento e recuperação com apoio de familiares e amigos. Foi difícil! Foram cerca de sete meses sem andar normalmente, fazendo fisioterapia e mandando gagá!
No final do ano, na ânsia do resultado, vi a lista mas não vi meu nome. Foi muito infeliz, ver que todo sacrifício não teria o resultado. Fiquei quase sem alma... Chorei...
Demorou pra cair a ficha, pensei em várias coisas, mas não decidi nada pois não me via mais sem o ITA. Entretanto, depois de um telefonema pro setor de vestibular do ITA, mantive a 'esperança' até a segunda chamada e no dia 25 de janeiro de 2010 recebi a ligação mais espedada de minha vida. Acordei, recebi a notícia da convocação, Fiquei feliz... Tremi... Chorei... Sentimento totalmente bom e indescritível!

Fábio Rodrigo – Belém/PA

 

 
Banner
Banner

Apoio

Banner

Pesquisa

Login

Facebook Futuro Militar

Facebook Rumo ao ITA